sexta-feira, 15 de abril de 2005

...e é assim... cá estamos!

Dormir 5h. Tomar o pequeno-almoço depois de muito tempo sem saber o que é comer ao acordar. Agarrar no carro, mesmo sabendo já da fila de trânsito que me espera. Contribuir para o crescimento da anunciada fila, enquanto me passam pela memória os dois anos passados nesta rotina diária de pára-arranca (se pensar bem, acho que sei ao certo quantos parafusos se vêem da parte de baixo das pontes do Feijó!). Sentir a adrenalina de ter “esticado” a gasolina até à reserva do depósito e agora não ter nenhuma bomba por perto. Apanhar pelo caminho uma chuva molha-parvos, cujo único objectivo é mostrar-me quão idiotas são as pessoas que decidiram ontem gastar 6€ para lavar o carro (é científico: eu lavo o carro e no dia seguinte chove. Funciona melhor que o Instituto de Meteorologia Português.. garantidamente!). Levar a progenitora a uma consulta num hospital terceiro mundista (mais ainda que o habitual). Ter o prazer (deu para sentir o sarcasmo?) de ser meticulosa e continuadamente observada e avaliada pelas 20 ou 30 pessoas (imensamente discretas, diga-se!) que encontro na sala de espera (acho que eu era o único ser ali que tinha a dentição completa, tendo até – imagine-se! – os dentes da frente! Deve ter sido isso.. só pode!). Voltar para a terrinha e ficar parada nos semáforos lado a lado com um Skoda Forman 135LS (sim… dei-me ao trabalho de apontar!) com um graffiti (sim… graffiti!) no porta-bagagens daquilo que me pareceu serem uns golfinhos selvagens em 3D (dá para imaginar a beleza estética da coisa?). Entrar no elevador do prédio e asfixiar com o cheiro a amoníaco que a Senhora da limpeza acabou de pôr em quantidade industrial (pela primeira vez na vida desejo morar num 1º andar). Voltar para casa e atirar-me para o sofá. E o dia ainda só vai a meio..!

2 inputs:

João Martinho disse...

boa noite! :)

il dos uhhhuhu's disse...

esse carrão huhuhhuhuhuhuh
não tinha luzes neoooon azuis por baixo???
golfinhos lindos.... quando for grande quero um golfinho e um amor de mãe no braço..